Publicidade

“A canção da Lamúria” é um dos lançamentos do evento literário que será realizado neste final de semana.

Em contato com o universo literário desde a infância, o escritor Bruno Lima estreia no mercado editorial com o livro “A canção da Lamúria”, um terror leve e cheio de reflexões.

A obra será lançada pelo Grupo Editorial Coerência durante a 1ª edição da Festa Literária de São Paulo (FLISP), neste domingo (08).

Em “A canção da Lamúria”, o escritor se inspirou em lendas folclóricas e nas próprias ideias, na qual narra uma história ambientada na fictícia Rosa Vermelha, uma cidade pacata que torna palco de eventos estranhos após dona Clara ter uma gravidez tardia e solicitar que João busque os olhos de um búfalo — o qual Afonso, o dono da fazenda tem como estimação —, para ela fazer uma sopa. Assolado com a notícia, Afonso recorre a Eranê, o poderoso xamã de uma aldeia indígena, para o pagamento de uma dívida antiga.

Colocando os habitantes da cidade de frente para seus maiores medos, Bruno Lima se propõe a levantar diversas reflexões ao levar o racismo, relação entre patrão e empregado, povos indígenas, machismo e entre outros temas para dentro da sutil narrativa.

A 1ª edição da Festa Literária de São Paulo (FLSP) será realizada no dia 08 de novembro de 2020, a partir das 10h na Associação Osaka Naniwa-Kai, em São Paulo, com entrada franca. O  livro estará no stand do Grupo Editorial Coerência, e todos que adquirirem um exemplar ganharão brindes exclusivos.

Seguindo os requisitos para eventos culturais durante a pandemia de Covid-19, a FLISP 2020 contará com seguranças na entrada para medir a temperatura e conferir se o público se utilizando máscara, além disso, a organização disponibilizará totens de álcool em gel nos corredores.

Sinopse

Na fazenda Búfalo Celestial, dona Clara enfrenta as adversidades de uma gravidez tardia. Quando um desejo insaciável e inusitado toma conta de seus pensamentos, ela pede a João que busque os olhos de Afonsinho, um dos melhores búfalos de sua criação.

Mesmo sabendo que o búfalo escolhido se trata do animal de estimação de Afonso, seu patrão, o capataz consegue o ingrediente principal para a sopa da patroa. Assolado com a notícia, Afonso recorre a Enarê, o poderoso xamã de uma aldeia indígena, exigindo o pagamento de uma dívida antiga.

É então que Rosa Vermelha, uma cidade que costumava ser pacata, vira palco de eventos estranhos. E seus habitantes, pessoas com características tão diferentes, terão de encarar seus medos para investigar as criaturas misteriosas que começam a surgir se quiserem voltar a viver em paz em seus lares.

Sobre o autor

O autor desta obra prefere não investir em linhas sobre suas realizações, façanhas ou história de vida inspiradoras.

Mas, caso esteja curioso, Bruno Lima sempre quis ser um escritor, e encontrou nas histórias que ouvia da avó estímulo para seus escritos.

Além disso, tem o hábito peculiar de manter um caderno e uma caneta ao lado da cama para, ao acordar, escrever acerca de seus sonhos, o que trouxe mais motivação para criar A canção da lamúria. Na verdade, boa parte do livro foi escrita após o autor conhecer em sonho o que aconteceria na história.

Compartilhar.

Olá! Meu nome é Beatriz Chiessi e sou formada em Gestão Empresarial. Fã da Aggretsuko, apaixonada pelos filmes do Studio Ghibli, Simmer assumida e astronauta do Astroneer.